DETALHES DO CURSO
 
REFORMA TRIBUTÁRIA DE "A" A "Z": DA ANÁLISE DA EC 132 À REGULAMENTAÇÃO PELO PLP 68 (Em 8 Aulas)
Investimento: R$ 1.600,00

Datas:
04/07/2024 a 26/07/2024
Voltar
Resumo:

Data: 04/07/2024 - Horário: Das 08:00 às 12:00 horas (4 horas/aula)
Data: 05/07/2024 - Horário: Das 08:00 às 12:00 horas (4 horas/aula)
Data: 11/07/2024 - Horário: Das 08:00 às 12:00 horas (4 horas/aula)
Data: 12/07/2024 - Horário: Das 08:00 às 12:00 horas (4 horas/aula)
Data: 18/07/2024 - Horário: Das 08:00 às 12:00 horas (4 horas/aula)
Data: 19/07/2024 - Horário: Das 08:00 às 12:00 horas (4 horas/aula)
Data: 25/07/2024 - Horário: Das 08:00 às 12:00 horas (4 horas/aula)
Data: 26/07/2024 - Horário: Das 08:00 às 12:00 horas (4 horas/aula)

Destina-se:

Contadores, Administradores, Auditores, Controllers, Gerentes, Auxiliares das Áreas Contábil e demais profissionais envolvidos e interessados no tema.

Objetivo:

Abordar todos os aspectos sobre a Reforma Tributária dos tributos indiretos, aprovada pela Emenda Constitucional nº 132/2023 e com a regulamentação proposta pelo poder executivo pelo PLP nº 68/2024. Com base no referido projeto de lei complementar, estudar profundamente o novo sistema tributário brasileiro, com detalhamento de sua matriz de incidência, não cumulatividade, regimes diferenciados, regimes específicos e demais características dos novos tributos cuja aplicação já se iniciará no ano de 2026. Instruir sobre os procedimentos de transição do regime atual para o novo sistema de tributos indiretos, de modo a fornecer a compreensão de todas as instruções dadas conforme a Emenda Constitucional nº 132/2023 e o PLP nº 68/2024. Proporcionar aos participantes conhecimentos dos principais aspectos relacionados aos aspectos gerais da apuração no regime cumulativo e não cumulativo das contribuições sociais para o PIS/Pasep e Cofins, e como será a incidência das referidas contribuições no período de transição bem como o tratamento dos respectivos créditos na reforma tributária, unindo a teoria com exemplos práticos. Demonstrar as alterações promovidas no regime do Simples Nacional pela Reforma Tributária, com exposição de como funciona a tributação atualmente e como funcionará o regime de transição até o pleno vigor das mudanças.

Programa:

1 - IBS E CBS (IVA DUAL)

1.1 - O PRINCÍPIO DA NEUTRALIDADE

1.2 - MATRIZ DE INCIDÊNCIA
1.2.1 - ASPECTO MATERIAL (FATO GERADOR)
1.2.1.1 - Operações Onerosas
1.2.1.2 - Operações Não Onerosas
1.2.1.3 - Importações de Bens Materiais
1.2.1.4 - Importações de Bens Imateriais e Serviços
1.2.1.2.1 - Fornecimento de Bens e Serviços para Uso e Consumo Pessoal
1.2.1.3 - Imunidades
1.2.1.4 - Não Incidência
1.2.1.4.1 - Exportações
1.2.1.4.1.1 - Bens Materiais e Serviços
1.2.1.4.1.2 - Bens Materiais
1.2.1.4.1.2.1 - Exportações Indiretas
1.2.1.5 - Isenções na Importação
1.2.2 - ASPECTO ESPACIAL (LOCAL DO FATO GERADOR)
1.2.2.1 - Domicílio Principal do Destinatário
1.2.2.2 - Importações
1.2.3 - ASPECTO TEMPORAL (MOMENTO DO FATO GERADOR)
1.2.3.1 - Regras Gerais
1.2.3.2 - Importações
1.2.4 - ASPECTO PESSOAL (CONTRIBUINTE)
1.2.4.1 - Conceito de Contribuinte
1.2.4.2 - Plataformas Digitais
1.2.4.3 - Responsáveis Solidários
1.2.4.4 - Contribuintes por Opção
1.2.5 - ASPECTO QUANTITATIVO (BASE DE CÁLCULO E ALÍQUOTA)
1.2.5.1 - Base de Cálculo
1.2.5.1.1 - Exclusões da Base de Cálculo
1.2.5.1.2 - Falta do Valor da Operação
1.2.5.1.3 - Valor Arbitrado
1.2.5.1.4 - Importações
1.2.5.2 - Alíquotas
1.2.5.2.1 - Estimativa das Alíquotas
1.2.5.2.2 - Alíquota de Referência
1.2.5.2.3 - Composição da Alíquota
1.2.5.2.4 - Autonomia dos Entes
1.2.6 - QUADRO RELACIONAL DA MATRIZ DE INCIDÊNCIA DO FATO GERADOR

1.3 - PAGAMENTO
1.3.1 - Compensação
1.3.2 - Recolhimento
1.3.3 - Recolhimento na Liquidação Financeira (Split Payment)
1.3.3.1 - Procedimento Simplificado
1.3.4 - Recolhimento pelo Adquirente
1.3.5 - Recolhimento por Responsabilidade

1.4 - NÃO CUMULATIVIDADE
1.4.1 - Regime de Não Cumulatividade Ampla
1.4.2 - Exigências para o Crédito
1.4.3 - Restrições para o Crédito
1.4.3.1 - Bens de Uso e Consumo Pessoal
1.4.3.2 - O Papel da Neutralidade na Interpretação
1.4.3.3 - Operações Imunes e Isentas
1.4.4 - Formas de Utilização dos Créditos
1.4.4.1 - Compensação
1.4.4.2 - Ressarcimento
1.4.4.2.1 - Solicitação do Ressarcimento
1.4.4.2.2 - Prazo para Apreciação do Pedido
1.4.4.2.3 - Critérios para Definição da Apreciação do Pedido
1.4.4.3 - Pagamento Indevido

1.5 - APURAÇÃO DO IBS E DA CBS

1.6.1 - Apuração Consolidada
1.6.2 - Conflito de Créditos, Débitos e Pagamentos Antecipados
1.6.3 - Apuração Assistida

1.7 - COMPRAS GOVERNAMENTAIS

1.8.1 - Distribuição da Arrecadação
1.8.2 - Redutor das Alíquotas
1.8.3 - Reequilíbrios de Contratos de Longo Prazo

1.9 - SORTEIOS E CASHBACK
1.9.1 - Programa de Incentivo à Cidadania Fiscal
1.9.2 - Cashback
1.9.2.1 - Cidadãos Abrangidos
1.9.2.2 - Operacionalização
1.9.2.3 - Montante a ser devolvido

1.10 - REGIMES ADUANEIROS ESPECIAIS
1.10.1 - Regimes de Depósito
1.10.2 - Permanência Temporária
1.10.3 - Regimes de Aperfeiçoamento
1.10.4 - Zonas de Processamento de Exportação

1.11 - REGIMES DE BENS DE CAPITAL
1.11.1 - Reporto
1.11.2 - Reidi

1.12 - REGIMES DIFERENCIADOS E CESTA BÁSICA NACIONAL
1.12.1 - Cesta Básica Nacional de Alimentos
1.12.2 - Regras Gerais dos Regimes Diferenciados
1.12.3 - Profissões Liberais
1.12.4 - Operações com Redução em 60%
1.12.5 - Redução a Zero
1.12.6 - Transporte Coletivo
1.12.7 - Produtor Rural
1.12.8 - Transportador Autônomo
1.12.9 - Reciclagem, Reutilização ou Logística Reversa
1.12.10 - Bens Móveis Usados

1.13 - REGIMES ESPECÍFICOS
1.13.1 - Combustíveis
1.13.2 - Serviços Financeiros
1.13.2.1 - Operações de Crédito e Afins
1.13.2.2 - Arrendamento Mercantil
1.13.2.3 - Administração de Consórcio
1.13.2.4 - Administração de Recursos
1.13.2.5 - Arranjos de Pagamento
1.13.2.6 - Seguros, Resseguros, Previdência Complementar e Capitalização
1.13.2.7 - Outros Serviços
1.13.3 - Planos de Saúde
1.13.4 - Concursos de Prognósticos (Bets)
1.13.5 - Setor Imobiliário
1.13.6 - Sociedades Cooperativas
1.13.7 - Bares, Restaurantes e Similares
1.13.8 - Hotelaria, Parques de Diversão e Parques Temáticos
1.13.9 - Transporte Coletivo Ferroviário, Hidroviário e Aéreo Regional
1.13.10 - Agência de Viagens e Turismo
1.13.11 - Sociedade Anônima de Futebol (SAF)

2 - OBRIGAÇÕES ACESSÓRIAS DO IBS E DA CBS

2.1 - Cadastro Único

2.2 - Documentos Fiscais Eletrônicos
2.2.1 - NFS-e Nacional

2.3 - CIB

3 - IMPOSTO SELETIVO

3.1 - Mercadorias Tributadas

3.2 - Fato Gerador

3.3 - Não Incidência

3.4 - Base de Cálculo

3.5 - Características das Alíquotas

3.6 - O Contribuinte (Sujeito Passivo)

3.7 - Apuração e Pagamento

3.8 - Incidências nas Importações

4 - ZONA FRANCA DE MANAUS E ÁREAS DE LIVRE COMÉRCIO

4.1 - ZONA FRANCA DE MANAUS
4.1.1 - Benefícios na Importação
4.1.2 - Operações com Destino à ZFM
4.1.2.1 - Incidência de IBS na Entrada de Bens
4.1.3 - Crédito Presumido
4.1.4 - Operações Internas na ZFM
4.1.5 - Operações Originadas na ZFM

4.2 - ÁREAS DE LIVRE COMÉRCIO
4.2.1 - Benefícios na Importação
4.2.2 - Operações com Destino à ALC
4.2.2.1 - Incidência de IBS na Entrada de Bens
4.2.3 - Crédito Presumido
4.2.4 - Operações Internas na ALC 
4.2.5 - Operações Originadas na ALC

5 - A REFORMA TRIBUTÁRIA NO SIMPLES NACIONAL

5.1 - CONTEXTUALIZAÇÃO
5.1.1 - Contexto Geral no Simples Nacional
5.1.1.1 - Tributos Abrangidos pelo Simples Nacional
5.1.1.2 - Tributos não Abrangidos pelo Simples Nacional
5.1.1.3 - Disposições já trazidas na LC n° 123/2006, no Caso de Reforma Tributária 

5.2 - Apuração no Simples Nacional antes da Produção de Efeitos da Reforma Tributária
5.2.1- Cálculo do Simples Nacional
5.2.2 - Cálculo de PIS/PASEP e COFINS dentro do Simples Nacional
5.2.3 - Cálculo de PIS/PASEP e COFINS fora do Simples Nacional
5.2.4 - Transferências de Créditos de PIS/PASEP e COFINS
5.2.5 - Benefícios de PIS/PASEP e COFINS no Simples Nacional 

5.3 - Impactos da Reforma Tributária no Simples Nacional em Âmbito Federal
5.3.1 - Apuração da CBS por dentro do Simples Nacional
5.3.2 - Apuração da CBS por fora do Simples Nacional
5.3.3 - Transferências de Créditos de CBS
5.3.4 - Benefícios da CBS no Simples Nacional 

5.4 - Impactos da Reforma Tributária no SIMEI

5.5 - CONTEXTUALIZAÇÃO (ICMS, ISS E IPI)
5.5.1 - Contextualização quanto ao Simples Nacional
5.5.2 - Conceito e Contextualização do ISS no Simples Nacional
5.5.3 - Conceito e Contextualização do IPI no Simples Nacional
5.5.4 - Conceito e Contextualização do ICMS no Simples Nacional
5.5.4.1 - Antecipação do ICMS
5.5.4.2 - Diferencial de Alíquotas
5.5.4.3 - ICMS ST

5.6 - RECOLHIMENTO DO IBS E CBS NO SIMPLES NACIONAL
5.6.1 - Não-Cumulatividade do IBS e CBS no Simples Nacional
5.6.2 - Fornecimento de Crédito Atual no Simples Nacional
5.6.3 - Opção pelo Recolhimento de Forma Regular do IBS e CBS
5.6.4 - Opção pelo Recolhimento dentro do PGDAS do IBS e CBS
5.6.5 - Recolhimento na Importação

5.7 - ASPECTOS DO SUBLIMITE (PLP 68/24)
5.7.1 - Sublimite do ISS e ICMS
5.7.2 - Sublimite do IBS e CBS em Início de Atividade
5.7.3 - Sublimite IBS no Ano-calendário

5.8 - ANEXO I E ANEXO II DO SIMPLES NACIONAL (PLP 68/24)
5.8.1 - Contextualização quanto o Recolhimento na Forma Atual
5.8.2 - Anexo I - Tributação após Implementação das Alterações do PLP
5.8.3 - Anexo II - Tributação após Implementação das Alterações do PLP

5.9 - IMPOSTO SELETIVO
5.9.1 - Forma de Recolhimento
5.9.2 - Observações quanto ao Recolhimento pelo Simples Nacional

5.10 - OBRIGAÇÕES ACESSÓRIAS (PLP 68/24)
5.10.1 - Contextualização quanto às Declarações a Nível Estadual na Forma Atual
5.10.2 - Fim da DeSTDA
5.10.3 - Obrigatoriedade de Emissão de Documento Fiscal para MEI

6 - TRANSIÇÃO PARA A REFORMA TRIBUTÁRIA

6.1 - TRANSIÇÃO PARA O NOVO REGIME (ICMS, ISS E IPI)
6.1.1 - ICMS e ISS para IBS e CBS
6.1.2 - IPI para Imposto Seletivo

6.2 - COMPENSAÇÃO DE BENEFÍCIOS DE ICMS
6.2.1 - Critérios para Habilitação
6.2.2 - Reconhecimento do Crédito

6.3 - TRANSIÇÃO PARA O NOVO REGIME (PIS E COFINS)
6.3.1 - REGIMES DE INCIDÊNCIA
6.3.1.1 - Pessoas Jurídicas Obrigadas ao Regime Cumulativo
6.3.1.2 - Pessoas Jurídicas Obrigadas ao Regime não Cumulativo
6.3.2 - REGIME CUMULATIVO
6.3.2.1 - Base de Cálculo
6.3.2.2 - Exclusões da Base de Cálculo
6.3.2.3 - Alíquota
6.3.3 - REGIME NÃO CUMULATIVO
6.3.3.1 - Base de Cálculo
6.3.3.2 - Exclusões da Base de Cálculo
6.3.3.3 - Alíquota
6.3.4 - CRÉDITOS DO REGIME NÃO CUMULATIVO
6.3.4.1 - Operações com Direito ao Crédito
6.3.4.2 - Base de Cálculo
6.3.4.3 - Alíquota
6.3.4.4 - Apropriação do Crédito
6.3.4.5 - Prazo para Utilização do Crédito
6.3.5 - PIS/PASEP E COFINS NA REFORMA TRIBUTÁRIA 
6.3.5.1 - Período de Compensação com o CBS
6.3.5.2 - Extinção das Contribuições
6.3.5.3 - Saldo dos Créditos de PIS/Pasep e Cofins
6.3.5.4 - Créditos de PIS/Pasep e Cofins não Apropriados
6.3.5.5 - Crédito Presumido de CBS sobre o Estoque
6.3.5.6 - Devoluções de Vendas após a Extinção das Contribuições.

Bibliografia:

BRASIL. Institui o Estatuto Nacional da Microempresa e da Empresa de Pequeno Porte; altera dispositivos das Leis no 8.212 e 8.213, ambas de 24 de julho de 1991, da Consolidação das Leis do Trabalho - CLT, aprovada pelo Decreto-Lei no 5.452, de 1o de maio de 1943, da Lei no 10.189, de 14 de fevereiro de 2001, da Lei Complementar no 63, de 11 de janeiro de 1990; e revoga as Leis no 9.317, de 5 de dezembro de 1996, e 9.841, de 5 de outubro de 1999. Lei Complementar Nº 123, de 14 de Dezembro de 2006. Brasília-DF, 14 dez. 2006.

BRASIL. Dispõe sobre o Regime Especial Unificado de Arrecadação de Tributos e Contribuições devidos pelas Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Simples Nacional). Resolução Cgsn Nº 140, de 22 de Maio de 2018. Brasília-DF, 24 maio 2018.

BRASIL. Dispõe sobre a Declaração de Substituição Tributária, Diferencial de Alíquotas e Antecipação - DeSTDA. Ajuste Sinief 12, de 4 de Dezembro de 2015. Brasília-DF.

BRASIL. Dispõe sobre as especificações técnicas para a geração de arquivos da Declaração de Substituição Tributária, Diferencial de Alíquota e Antecipação - DeSTDA. Ato Cotepe/Icms 47, de 4 de Dezembro de 2015. Brasília-DF, 09 dez. 2015.

BRASIL. Instrução Normativa RFB n° 2.121, de 15 de dezembro de 2022. Consolida as normas sobre a apuração, a cobrança, a fiscalização, a arrecadação e a administração da Contribuição para o PIS/Pasep, da Cofins, da Contribuição para o PIS/Pasep-Importação e da Cofins-Importação. Diário Oficial da União, Brasília-DF, 20 de dezembro de 2022.

BRASIL. Lei n° 10.833, de 29 de dezembro de 2003. Altera a legislação tributária federal e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília-DF, 30 de dezembro de 2003.

BRASIL. Emenda Constitucional n° 132, de 20 de dezembro de 2023. Altera a constituição federal, trazendo as disposições da reforma tributária. Diário Oficial da União, Brasília-DF, 21 de dezembro de 2023.

BRASIL. Lei n° 9.718, de 27 de novembro de 1998. Altera a Legislação Tributária Federal. Diário Oficial da União, Brasília-DF, 28 de novembro de 1998.

BRASIL. Lei n° 10.637, de 30 de dezembro de 2002. Dispõe sobre a não-cumulatividade na cobrança da contribuição para os Programas de Integração Social (PIS) e de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep), nos casos que especifica; sobre o pagamento e o parcelamento de débitos tributários federais, a compensação de créditos fiscais, a declaração de inaptidão de inscrição de pessoas jurídicas, a legislação aduaneira, e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília-DF, 31 de dezembro de 2002.

BRASIL. Câmara dos Deputados. Projeto de Lei Complementar nº 68, de 2024. Institui o Imposto sobre Bens e Serviços - IBS, a Contribuição Social sobre Bens e Serviços - CBS e o Imposto Seletivo - IS e dá outras providências. Brasília: Câmara dos Deputados, 2024. Disponível em: https://www.camara.leg.br/proposicoesWeb/prop_mostrarintegra?codteor=2414157&filename=PLP%2068/2024. Acesso em: 15 mai. 2024.

Ministrante: Marcos Vinícius Martins da Silva, Gustavo Hames, Helena Terezinha de Souza, Amanda Rodrigues dos Santos, Keoma Pereira da Silva
Carga Horária: 32 horas aula
Horário: 08:00 às 12:00hs
Nota: Efetuar o pagamento até o dia 01/07/2024
Atenção: A partir da data de aprovação/liberação da compra, o curso estará disponível para assistir por 14 dias. São disponibilizadas o dobro de horas, o que possibilita assisti-lo 2 vezes na íntegra. Assim, de acordo com o que ocorrer primeiro, os 14 dias decorridos ou o dobro de horas de visualização, o acesso ao curso será bloqueado automaticamente pelo sistema.